Menu Fechar

Crise sanitária

No contexto da crise sanitária que afeta particularmente o sector aeronáutico, é conveniente perguntar-se por que razão deve participar numa qualificação de tripulantes de cabina.
Tentaremos dar uma resposta pragmática e honesta a esta questão pertinente.
Em primeiro lugar, o sector aeronáutico tem sido constantemente fustigado por muitos parâmetros diferentes e diversos. Nos últimos 30 anos em que temos trabalhado neste sector como tripulantes e instrutores, tivemos muitas surpresas. Crises petrolíferas, desregulação do transporte aéreo, guerra do Golfo, 11 de setembro, etc…
Temos de admitir que trabalhar no sector da aviação não é um rio muito tranquilo.
A crise sanitária tem, pelo menos, a vantagem de ser identificada e apresenta algumas soluções a médio prazo. De acordo com especialistas económicos, pode levar entre dois a três anos para as companhias aéreas mundiais regressarem ao seu nível de atividade em 2019.

Volume de passageiros

É importante ter em mente que o que está a acontecer agora já aconteceu no passado. Talvez numa escala menor, mas o conceito permanece o mesmo. Um evento enfraquece a economia das companhias aéreas. Alguns vão à falência e novas empresas nascem.
Temos que pensar com o mercado. É possível que os empresários possam mudar temporariamente os seus hábitos, mas e todas aquelas famílias espalhadas pelo mundo que querem reunir-se fisicamente de vez em quando. E toda esta economia baseada no turismo que traz milhares de milhões aos países visitados? Não, seja bom ou mau para o planeta, uma coisa é certa: o nosso modelo de transporte permanecerá inalterado durante várias décadas!

No final, o que sempre aconteceu foi que as companhias aéreas mais fortes reestruturam-se economicamente e oferecem planos de partida aos seus antigos empregados mais bem pagos. Isto permite-lhes então contratar novos funcionários com uma remuneração mais baixa. Estão a ser criadas novas empresas e estão a atacar o restante mercado (60% do mercado europeu continua acessível a companhias aéreas de baixo custo).

Por que se envolveria num treino de tripulantes de cabine agora?

Por todas as razões acima mencionadas, se realmente quer embarcar numa carreira como tripulante de cabine, então começa agora:
– há baixas listas de espera nas escolas de formação…
– terá tempo para melhorar os seus pontos fracos, como as competências linguísticas inglesas ou a aquisição de uma nova língua.
– Estará pronto e disponível no mercado de trabalho quando as companhias aéreas abrirem o seu recrutamento.
Não é quando o comboio chega à estação que tem de fazer as malas!